It: A coisa (1986) é uma das obras mais bem sucedidas do mestre do terror Stephen King. Tendo criado uma criatura por muitos assustadora e que vive no imaginário de muitas pessoas: O Pennywise.
 Na verdade, Pennywise é apenas uma das várias manifestações de medo da Coisa. Essa entidade cósmica e/ou extra-terrestre acorda a cada 27 anos para se alimentar de medo e fobias das crianças na cidade de Derry, nos Estados Unidos.

Se você não sabia ainda, esse personagem pode ter sido inspirado em um caso real, mesmo que sem querer. Iremos falar dele logo abaixo, prepare uma posição confortável pois lá vem história!
Embora nunca afirmado por Stephen King, acredita-se que o personagem fora inspirado em um verdadeiro serial killer dos Estados Unidos. Vamos falar de John Wayne Gacy.
Entre as décadas de 70 e 80, Gacy teria matado e torturado mais de 30 garotos, ficando conhecido como o verdadeiro "Palhaço Assassino" na época. Sua brutalidade chocou diversas pessoas e causou revolta em famílias.

A vida de John antes dos crimes
Diz-se que quando pequeno era constantemente espancado e abusado sexualmente por seu pai — que era alcoólatra. Seu pai o tratava com grande desprezo e dizia a todos que ele era homossexual.

Aos 11 anos formou-se um coágulo em sua cabeça, por conta de uma pancada que sofreu. Porém, isto foi apenas confirmado 5 anos após o acontecimento, quando já tinha 16 anos — foi complicado aos médicos explicarem ao pai que o caso era sério, pois o mesmo acreditava que Gacy ensaiava os desmaios para chamar atenção, e mesmo assim seu pai não acreditava!

Igualmente, aos 17 anos foi diagnosticado como portador de uma doença cardíaca rara, que tornou o hospital a sua “segunda casa”. Os médicos nunca souberam explicar a causa das dores insuportáveis que alegava sofrer constantemente. Contava à polícia que possuía quatro personalidades: o empreiteiro, o palhaço, o político e o assassino (este último alcunhado de Jack Hanson). Foi considerado por diversos psiquiatras como um sujeito compulsivo, perfeccionista, esquizofrênico, paranoico, sociopata, narcisista, mentiroso patológico e multipolar.

Crimes
Ele assumia exatamente a persona de um palhaço, chamando-se de Pogo. Assim, ele ia para festas infantis fantasiado (como mostrado na foto do começo do artigo), conseguindo atenção de crianças jovens. Quando capturado, John passava grande parte de seu tempo desenhando palhaços macabros em sua cela. Porém, antes mesmo de ser preso por esses crimes, John teria passado por uma condenação antes, por abuso sexual à um menor de idade, tendo sido condenado a 10 anos de prisão, porém cumpriu apenas 18 meses.

Algumas das vítimas de Gacy

Como ele foi descoberto?
Uma vítima não fatal ajudou a conseguir fortes pistas para os assassinatos, o nome dele era Jeffrey Ringall, na época com 27 anos. Em março de 1978, Ringall diz ter aceito a carona de um sujeito gordo e sorridente. O carro era um Oldsmobile preto. No meio do trajeto o motorista o agarrou, colocando em seu nariz um pano contendo clorofórmio. Sua consciência foi perdida e, sempre que recuperada, era novamente sedado pelo condutor.

Acordou, no dia seguinte, no meio do Lincoln Park sem saber como foi parar ali. Verificou, depois, que estava com diversos hematomas e queimaduras pelo corpo. Foi ao hospital e por lá permaneceu internado por dias. Sofreu danos irreparáveis e permanentes no fígado em virtude da inalação desmedida de clorofórmio. Mas sua memória era falha e, fora tais fatos, recordava-se apenas de ter sido abusado sexualmente em uma casa e açoitado com um chicote. Os indícios não eram suficientes para apontar a autoria do crime.

Revoltado por não ter sido devidamente justiçado, após quase um ano do acontecido, Ringall lembrou-se de uma das avenidas que avistou ao ter sido sequestrado. Não pensou duas vezes em ir para o local e observar, dias em tocaia, um Oldsmobile preto passa por aquela rua. Quando isso aconteceu, ele seguiu o carro e adivinhem só? Foi estacionado na casa de Gacy! foi assim então que Ringall conseguiu uma queixa contra seu abusador.

Perante as autoridades, John Wayne Gacy confessou todos os crimes e contou como os fazia (prepare-se, pode conter detalhes perturbadores, leia abaixo)


Oferecia emprego ou promessa de sexo por dinheiro. Uma vez atraídas pelas suas falas, eram algemadas, violentadas sexualmente e mortas por estrangulamento, geralmente com cordas ou panos. Nas execuções ele se fantasiava de Palhaço Pogo e falava algumas passagens da bíblia. Ele enterrava os corpos no chão de sua casa, construído para esse propósito mesmo. Contou a polícia que — quando não tinha mais espaço, jogava os corpos no rio Des Plaines, em Illinois.

Gracy foi condenado a 21 prisões perpétuas e 12 sentenças de morte pelos crimes cometidos.

Poste um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE