Parceiros

Curta-nos no Facebook! - Café com Net

O que é a Síndrome da Rã Fervida? - Psicanálise

Síndrome da rã fervida é um estado que o grande escritor, Oliver Clerc, filósofo francês, deu para uma relação emocional, uma linguagem simples, mas acertada para falar dos desgastes emocionais.

A Fábula é baseada na lei da física

Oliver fala, se colocarmos uma rã em um recipiente com água e começarmos aumentar a temperatura aos poucos a rã irá se ajustar aos poucos a sua temperatura de forma gradual. Quando a água estiver chegando ao seu ponto de ebulição, a rã não conseguira mais ajustar a essa temperatura, e por isso tentará saltar.

No entanto ela não será mais capaz de pular, pois terá gasto sua força e energia para ajustar sua temperatura, então não conseguirá sair mais da panela. E com isso, ela acaba morrendo fervida. Se tivesse colocado na água já quente, com certeza ela pularia de imediato.

O QUE MATOU A RÃ?

A resposta é fácil ela fica se adaptando a situação, em nossas vidas passamos por situações parecidas, e vamos normalizando, aceitando, achando tudo normal.

Muitas pessoas vivem falando que estão bem, tentam se adaptar às relações, o emocional é atingido aos poucos. Esse processo é lento, e as vezes é tão sutil que começamos a nos afogar aos poucos vivendo um relacionamento tóxico, nos anulando como pessoa vivendo a vida do outro, se afogando nas culpas nos medos nos traumas. Assim vivendo em uma prisão emocional.

Esse sentimento pode ocorrer em varias áreas, na família, relacionamento e trabalho.

Às vezes a pessoa pode passar por diversas cobranças, exemplo aquela dependência que o parceiro tem em relação a nós, ficamos sem espaço para respirar, pois o parceiro quer ficar o tempo todo colado, e não toma uma atitude sem antes nos consultar. Isso tem que ser revisto, até que ponto pode ser saudável, ou até mesmo o chefe que fica o tempo todo delegando coisas que não estão de acordo. A família também pode realizar uma cobrança excessiva, como fossemos o único salvador naquela situação, e até aceitamos por medo de falar não e desagradar os demais, o não que falamos para o outro, é o sim que falamos para nós.

Essa situação que vamos vivendo a longo prazo e banalizamos às vezes pode prejudicar nosso futuro, ela pode prejudicar nossas escolhas, pois vai minando a nossa capacidade de reagir e dar respostas, e essas respostas poderiam ser melhores para nós e para o outro.

Mudar a situação pode ser desconfortável, mas necessária para sair dessa zona de conforto, talvez iremos ficar incomodados por um tempo, mas temos que tomar uma posição, pois não devemos nos anular e sermos cozidos como a rã.

Busque o melhor para você, se não está conseguindo sozinho busque ajuda profissional.

Evoluir dói, mas ficar no mesmo lugar, dói muito mais!

Você é capaz. 

Sobre o Autor

Simone Navarro
Instagram: @navarro.simone

Psicanalista, terapeuta floral, Pedagoga, Coach.

  • Especialista em Saúde Mental e Dependência Química.

Postar um comentário

2 Comentários