O Supremo Tribunal Federal (STF) foi informado nesta terça-feira (15) pelo Ministério da Saúde, que o governo iniciará a distribuição da vacina contra a Covid-19 aos estados, cinco dias após a autorização das doses pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e a chegada dos primeiros lotes. 

A Advocacia-Geral da União (AGU) foi a responsável por entregar a informação ao STF após o ministro Ricardo Lewandowski pedir respostas sobre as datas de início e fim da imunização da população na última sexta-feira (11), quando o plano foi enviado do Supremo. 

A pasta prevê que a vacinação deva demorar cerca de 16 meses para ser concluída, sendo quatro meses para imunizar os grupos prioritários e 12 meses para para vacinar a população em geral. O documento é assinado pelo ministro Eduardo Pazuello e consta que os estados serão responsáveis por distribuir as doses aos municípios. A vacinação ainda não tem uma data prevista para ser iniciada, pois segundo o ministério, não é possível estabelecer um prazo antes da aprovação da Anvisa. 

Grupo Prioritário

O governo acredita que o grupo prioritário deva ser dividido em quatro fases e cada grupo levará cerca de um mês para ser totalmente imunizado, considerando que duas doses da vacina por pessoa. 

Primeiro grupo: Trabalhadores da área da saúde, idosos acima de 75 anos, pessoas de 60 anos ou mais que vivam em instituições de longa permanência e indígenas. 

Segundo grupo: Indivíduos quem têm entre 60 e 74 anos e que não morem em asilos, abrigos, etc. 

Terceiro Grupo: Pessoas com comorbidades 

Quarto grupo: Professores, forças de segurança e salvamento e funcionários do sistema prisional. 

Ver perfil da Autora: Lara Santana

1 Comentários

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE