"Álcool e cafeína são as drogas mais consumidas durante a pandemia, lembrando que a cafeína não está presente apenas no café e em barras de chocolate, mas também em analgésicos e inibidores de apetite." – afirma o neurocientista norte-americano Carl Hart.

Segundo o neurocientista Carl Hart, álcool e cafeína são as drogas mais consumidas na pandemia
Carl Hart em entrevista. DIVULGAÇÃO

Para o professor do departamento de Psicologia e Psiquiatria da Universidade Columbia, em Nova York, o maior consumo dessas substâncias não irá causar dependência pós-covid.

Porém ele não duvida que tais drogas venham a ser acusadas de arruinar ainda mais a sociedade para tirar o foco da inabilidade dos governos mundiais de lidar com os problemas socioeconômicos adquiridos na pandemia.

Seria assim, em qualquer tempo de crise, com a cocaína, o crack e os opioides — tendo estes últimos apontados como um dos fatores da redução gradativa da expectativa de vida nos Estados Unidos. "Culpar os opioides e outras drogas por qualquer diminuição na expectativa de vida é ignorância", reagiu.

Assim como todas as drogas, sejam remédios (licitas) ou crack, cocaína, heroína e outras, quando se usado em excesso, causa o vício – algumas mais rápidas que outras. Já é conhecido que o uso exacerbado de qualquer substância, por mais benéfica que seja, pode causar problemas no organismo.

O café por exemplo, tem várias vantagens em seu consumo, porém quando se toma doses muito grandes pode-se tornar perigoso. Principalmente para doenças relacionadas ao coração.

"A maioria das drogas recreativas faz as pessoas se sentirem bem. Caso contrário, essas pessoas não as aceitariam. Qualquer atividade que valha a pena envolve riscos e benefícios. Voar de avião — ou andar de automóvel — traz o risco da morte. No entanto, praticamente todo mundo viaja por esses meios de transporte. Com as drogas não é tão diferente. A maioria das pessoas não morre por usá-las. É verdade que uma pequena porcentagem, sim. Mas os efeitos predominantes são positivos, como aumento da sociabilidade e euforia." — diz Hart em entrevista.

Felype Oliveira
Criador e redator do Café com Net.


Poste um comentário

Previous Post Next Post

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE